Discriminação, direito, orientação sexual e reconhecimento intersubjetivo no ambiente de trabalho.

Luciano Gomes dos Santos

Resumo


O presente artigo tem por objetivo analisar o tema da discriminação, Direito, orientação sexual e reconhecimento intersubjetivo no ambiente de trabalho. O direito é fruto da evolução da sociedade humana, visando o estabelecimento de normas e validando princípios em vista da proteção da dignidade humana e da ordem social. O estudo analisará a questão da discriminação dos trabalhadores, tendo em vista sua orientação sexual. A sexualidade humana é o núcleo da personalidade moral da pessoa. Os trabalhadores não podem ser discriminados em sua orientação sexual. Todos nós somos iguais perante a lei e devemos recorrer à justiça nas situações de conflitos mediante a negação de quaisquer direitos. Milhares de trabalhadores vivem excluídos do mercado trabalho ou de certas profissões em consequência de sua orientação sexual. A questão não é ser bissexual, travesti ou transexual. O que está em jogo é o respeito ao trabalhador. Na falta de reconhecimento, surge a luta pelo reconhecimento. A Teoria do Reconhecimento surge como proposta de superação da discriminação dos trabalhadores que sofrem maus-tratos, a negação de direitos e a desonra. A dignidade humana se concretiza quando o trabalhador recebe o afeto, os direitos e é reconhecido na comunidade em que trabalha por meio de seus talentos, capacidades e propriedades. Por isso, o Direito do Trabalho deverá continuar avançando na proteção dos trabalhadores que são discriminados devido a sua orientação sexual.


Palavras-chave


Discriminação. Direito. Orientação Sexual. Trabalho. Reconhecimento.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.